sábado, agosto 28, 2010

PMMB

ATUALIZAÇÃO em 12/08/2016: o vídeo mencionado foi retirado do ar, mas na matéria abaixo tem a descrição de uma parte dele.

Virou polêmica, notícia, bate-boca, diversão entre outras coisas o vídeo final do DRC para o PMMB. Fato é que aqui esse será o último post sobre o PMMB, porque afinal de contas não temos o que comemorar.

Só pra deixar registrado: tivemos mais de 200mil votos na Fase 2. Alguém só por curiosidade consegue me passar um balanço de votos dos indicados pra Fase 3? Fãs de Fresno, Nx Zero... alguém? Só por curiosidade e talvez para ter certeza da farsa pela qual todos passamos. E eu arrisco em dizer que nenhum dos fãs que votou deve estar satisfeito com o resultado final do PMMB.

Notícias, vídeos e texto do Tico sobre o assunto, abaixo. Em tempo, ao contrário do dizem/ falam/ pensam o vídeo foi feito muito antes do resultado da Fase 3 do PMMB e do resultado final, mas veio a calhar com isso.

DETONAUTAS DETONAM (OPA!) PRÊMIO MULTISHOW EM VÍDEO
Fonte: Laboratório POP

"Eu, com certeza, depois dessa não sou mais convidado para nada no Multishow, mas fazer o quê? É o destino!", escreve o vocalista dos Detonautas Tico Santa Cruz no Twitter. Após concorrerem no Prêmio Multishow como Melhor Banda, Melhor Álbum (Acústico) e Melhor Instrumentista (o guitarrista Renato Rocha) os Detonautas não chegaram à terceira fase da eleição, apesar de fazerem uma campanha irônica com os fãs, divulgando vídeos e até criando uma musiquinha e realizando flashmobs. E mantiveram a ironia num vídeo divulgado na segunda (23), em que detonam a premiação, chamando-a de "Prêmio Multicor 2010" e dedicando-lhe impropérios. Nem a nova geração das bandas de rock nacional passou despercebida na desomenagem.

"Ganhamos o troféu em homenagem ao DRC como a melhor banda do Brasil depois do NXZero, do Cine, do Restart... do Reboot, do Control Alt Del, do F1, F2, F3, Backspace... Não ganhamos p... nenhuma de emissora nenhuma, filha da p...! Enfia esse prêmio no c...! No c...!", grita o DJ Cléston, acompanhado pelos colegas de grupo.

Tico Santa Cruz é mais um dos artistas a colocar em dúvida a seriedade do prêmio. "Acreditar que votação coloca alguém lá e dá prêmio para artista é muita boa vontade", escreveu no Twitter, referindo-se ao troféu dado para Samuel Rosa, do Skank, que ganhou do bola-da-vez Luan Santana como cantor do ano. "Estava torcendo para o Luan e ganhou o Samuel Rosa. Olha o prêmio buscando credibilidade. Se era por votação, o Samuel venceria mesmo? Vou acreditar. É uma homenagem". Também sacaneou o Restart. "Emo chora e usa franja. Colorido canta chorando, mas usa calças do Tiririca".

Detonautas esta Fora do Premio Multishow de Música Brasileira
Fonte: Blog do Ouvinte

A Banda Detonautas esta fora do Premio Multishow de Música Brasileira. Fato que este ano o Premio teve muitas indicações das bandas Teens,  como Hori e Restart.... Já é de anos que as premiações estão cada vez mais fracas... com indicações do que esta na moda, deixando de lado grandes talentos da música Brasileira. A Banda Detonautas gravou um vídeo agradecendo o Premio 'Multicolor' de Música Brasileira

Apenas pelo Registro
Fonte: BlogLog do Tico

Há tempos não me entusiasmava com uma premiação. Levando em consideração que participamos e vencemos apenas o Prêmio de Revelação da MTV em 2003, praticamente contrariando os interesses da emissora, essa Festa promovida pelo Multishow só me recordo de 2004. Quando fomos indicados pelo clipe de “Olhos Certos” e nada mais.

A verdade é que nunca fomos queridinhos da mídia especializada. Entramos aos trancos e barrancos e fomos conquistando os espaços na base de muita porrada e muita insistência. Contudo, se não fossem nossas musicas, hoje obviamente não estaríamos aqui.

Muitos congelaram o Detonautas nos tempos dourados da “Malhação”, mas nem nesse Período fomos conclamados a “Estrelas” importantes. Fizemos o caminho tradicional, passando pelos famosos programas de auditórios e quando começamos a entender como funcionavam as coisas acabamos nos distanciando do motor que direciona os rumos que cada artista seguirá.

Seguramos as pontas bem, apenas com nossas musicas, ressalto. Não fomos alçados por nenhuma revista a ícones de importância qualquer. Também não fomos elogiados por outros artistas contemporâneos, nenhuma emissora nos colocou como garotos propaganda de seus programas e muitas vezes assumimos a função consciente de “Tapa Buraco”de programações e pautas.

Não é história de coitadinho, ao contrário, é história de superação.

Batemos de frente com a MTV em meados de 2005 pelos constantes desrespeitos com nosso trabalho. Por conta de um conflito público acabei angariando outros inimigos, que foram formando elos na medida em que o mercado circula na mão de poucos PATRÕES. O cenário foi mudando, bandas apareceram e desapareceram e nós continuamos vivos e atuantes.  Na mesma época fomos afastados da Programação da MIX FM por conta de críticas abertas que teci sobre a maneira como trataram os grupos do Festival que promoveram na época em que uma banda chamada “Simple Plan” veio tocar em nosso país e recebeu um monte de regalias que achei acintosas aos direitos que considerava importante diante dos artistas nacionais. Ingenuamente tomei a frente sozinho e paguei o preço junto com o Detonautas.

Então ganhamos as páginas dos Jornais e a atenção da imprensa quando nosso Guitarrista foi assassinado no Rio de janeiro. Exploraram o que permitimos de nossa dor. De nossa tragédia particular. Passamos por anos difíceis. Tentaram mudar nossa musica, mexer em nossos conceitos, estabelecer um parâmetro de trabalho que não era o nosso. Ao não aceitarmos, novamente fomos parar na margem. Nossa antiga gravadora fechou os cofres e nosso antigo empresário surtou abandonando toda uma frente que abrimos juntos com muitas dificuldades. Praticamente sozinhos fizemos o Clipe de “Você me Faz tão bem” e acabamos sendo novamente recebidos pela Mix FM para um bate papo que culminou num sucesso nacional importante, nos dando aval para negociarmos nosso próximo disco. Este que viria ser o quarto CD do Detonautas, foi negado pela WEA, que precisava de um Acústico. Nós estávamos com “O Retorno de Saturno” e todos os sentimentos que envolviam a perda do Netto, as saudades, o amor, as tristezas e também o desejo de superar mais uma vez os obstáculos. Decidimos sair e lutar por espaços com outros ares. A Nossa atual gravadora, Sony Music, nos recebeu muito bem. Lançamos o disco, que na minha opinião detém lindas canções, mas assim como o “Psicodeliamorsexo&distorção” em meio  a cruzada EMO que dominou as cabeças dos adolescentes e os espaços das programações populares, acabamos novamente nadando contra a maré. A MIX FM que é a referência seguida pela maioria das Rádios de SP, que por sua vez é o mercado que se leva como referência no resto do país, justificou nossa saída de sua programação por considerar que o conteúdo de nossas letras novas fossem “Muito cabeça” para o público.  Mídia especializada cagou 100 quilos para os últimos trabalhos e só não desaparecemos de vez, porque somos uma banda de Estrada e além de nossos shows, o ativismo político e social da banda acabou ocupando um espaço vazio, que continua sendo negligenciado pela geração “em cima do muro” que por razões óbvias, prefere manter o silêncio e a omissão com questões importantes a se indispor com grupos políticos que detém meios de comunicação importantes e escolhem atrações de feiras, festas, e shows em prefeituras, Estados e todo tipo de outros interesses maiores que determinam quem é “Interessante” ter por perto e quem deve ser “administrado”.  Mas uma vez, foi a musica que nos manteve próximo dos fãs, com agendas relativamente regulares e oportunidades que agarramos com unhas e dentes. Viver de arte num país como o Brasil é complicadíssimo. Sustentar famílias com isso então, diria que é uma vitória e uma ousadia ímpar.

Nestes últimos 10 anos sobrevivemos dignamente e com muita coerência sem precisar nos curvarmos aos interesses de empresários e ordens de “diretores artísticos” de TVs ou Rádios. Quando tivemos que enfrentar, Censuras, Boicotes e outras ações que muitas vezes determinam o fim de uma banda, enfrentamos com garra, determinação, união e força.

Ninguém nunca nos telefonou para nos convidar a receber prêmios e homenagens, capas de Revistas ou coisas importantes para estreitar o vínculo entre imprensa, público e mercado. Se ainda estamos vivos, foi porque marcamos nossos territórios com canções bem sucedidas, Opiniões coerentes, e PERSONALIDADE.

Não fazemos politicagem. Quando precisamos de um espaço, sabemos que estamos sendo usados e aprendemos a usar com as mesmas intenções de quem nos permite esse acesso ao público. Todavia, cada vez mais esgotamos nossos canais de diálogo com parte das pessoas que se guiam pelo que a mídia expõe. Daí esse congelamento em canções de 10 anos atrás.

Consciente dessa situação, aprendi muito bem a me virar no meio da selva e manter nossas posições protegidas. Conquistamos uma legião de fãs fiéis. Hoje nossos shows são muito mais cheios e numa regularidade cada vez maior. Temos novos “Hits” fazendo bonito nas emissoras que permitem a entrada do Detonautas. Uma bela tour programada para o Exterior. Tocamos nos maiores festivais do Brasil e furamos o bloqueio imposto pelos PATRÕES e MANDA CHUVAS do Mercado atual.  Tudo isso com musica.

Quando fomos indicados ao Prêmio Multishow de musica Brasileira, fiquei impressionado com a determinação e a consideração de nossos fãs. Logo nós, que por seguidas frustrações, combinamos internamente que não levaríamos mais em consideração qualquer tipo de celebração desse tipo. Sabemos como funciona por trás das cortinas. Sabemos que nenhum prêmio começa sem já ter seus vencedores determinados por uma mesa e um conselho que pesa os prós e contras de se premiar um e não dar ênfase ao outro. Sabemos que amizades entre empresários e trocas de favores são praxe e fazem parte deste universo que para quem vê de fora, se desenha tão cheio de glamour. Sabemos que existem também as tendências que devem ser respeitadas pelo canal, a título de garantir o público consumidor, que em sua maioria é composto por jovens sedentos por uma identificação com seus ídolos. Mas nós acreditamos que as votações de fato e pela primeira vez poderiam nos levar a algum desses “Reconhecimentos” públicos importantes SIM, na história, mesmo que momentânea de alguém que trabalha com a massa. E nos vimos no meio dessa brincadeira, fazendo vídeos, pedindo votos, organizando junto com outros fãs e membros de nossa equipe, ações que pudessem nos render o já desesperançoso prêmio que nunca ganhamos.  Por fim, chegamos a crer que faríamos parte, finalmente do seleto grupo dos “sempre escolhidos”.  No entanto, mais uma vez nossas esperanças foram frustradas. E mais uma vez ficou claro como é que funciona o negócio. E mais uma vez me deu vontade de escrever sobre tudo isso a título de registro para a posteridade.

Tenho certeza que pelo caminho de contestação e questionamentos com os quais me envolvi, sou persona não grata, na maioria destes meios de comunicação. Percebo o quanto sou ridicularizado e colocado de lado pela imprensa especializada que nunca ou poucas vezes, nos levou como uma banda séria, com conteúdos, com propostas, conceitos e não só reclamações e conflitos.

Tenho certeza que esse reconhecimento que tanto gostaria de ter junto com o Detonautas, não me caberá em vida. Se mantenho a chama do trabalho acesa e o desejo de seguir em frente, é puramente pelo amor que temos pelo que fazemos, pelos nossos seguidores e aliados fãs.

Se não fomos engolidos, devorados e cuspidos para o anonimato completo, é porque temos uma postura crítica feroz e CORAGEM para dizer, escrever e cantar o que pensamos.

Achei patética atitude de artistas que admiro, se curvando a essa palhaçada promovida pela Canal. Usou e abusou dos fãs e dos artistas envolvidos e depois cuspiu no lixo o esforço e a colaboração que oferecemos para abastecer seu site de acessos e disseminar nas redes sociais a divulgação.

Podem enganar a estas crianças e adolescentes cegos por seu ídolos. Mas quem, como eu, que convive no meio e sabe as artimanhas do processo, não cai nesse papo furado de VOTAÇÃO POR INTERNET.

Vou além, se assim for determinado o futuro do que deve ser celebrado como “O melhor” entre os ouvintes e espectadores, no futuro muito próximo, se não já no presente, teremos uma coleção de ídolos de plástico, sem qualquer comprometimento com a arte e seus questionamentos, mendigos atrás de votos de fãs acéfalos que perderão seu tempo diante de um computador para determinar a CULTURA desse país o que é relevante ou não.

Definitivamente, não faço parte disso. Não por não querer, mas por total incompetência de ficar calado na minha, aceitando todo este circo sem expor minhas impressões.

É por isso que vou buscando caminhos “alternativos” de diálogo com o público e como precisamos obviamente de alguma notoriedade para desfrutar de atenção dessas pessoas, vou abrindo frentes através de quem me dá oportunidades.

Assim seguirei e seguiremos nós, que não nos curvamos a esta brincadeirinha.

Discurso de perdedor?

Sim. Discurso do perdedor que acreditou que dessa vez poderia brincar no Play com as outras crianças.

Sem querer desmerecer a vitória de ninguém. Todos são vencedores no que se propuseram. Afinal de contas num cenário de tantos milhões de jovens, adultos, senhores e senhoras que tentaram e FALHARAM para viver de musica. Ganhar ou perder essas premiações é só uma questão de contexto comercial.

E como não é Possível num mundo capitalista viver a arte pela arte, mais uma vez estou aqui amargurando a nossa ausência da premiação.

Por mais estranha que tenha sido a festa, quem disser que não gostaria de ser premiado pelo Multishow ou MTV ou qualquer um desses “ditadores” de tendências, está mentindo. Se você sente que é viável e acredita, o gosto do fel toma sua boca quando dá de cara com a realidade.

Obrigado a nossos fãs que acreditaram e se dedicaram bastante a essas votações. Organização sensacional e a certeza de que fizemos todos, o que estava a nosso alcance. Sabemos que grande parte de nossos fãs já não está mais na escola. É gente que tem horários e responsabilidades que demandam tempo e que passavam as noites em claro trabalhando por essa vitória. Aos nossos fãs mais jovens, agradecemos o tempo dispensado e esperamos sinceramente que cresçam com a consciência de que isso deve ser um divertimento em momentos apropriados e não em absolutamente  A RAZÃO DE VIVER. Queremos fãs inteligentes e antenados com nossas propostas. Não nos interessa cordeirinhos. FORÇA SEMPRE.

Infelizmente, ou felizmente, só o tempo poderá dizer se fizemos as escolhas certas.

Cada um merece o que tem.

Abs
Tico Sta Cruz