quarta-feira, janeiro 15, 2014

Tico busca ajuda para salvar pista de skate de Chorão em Santos


Tico Santa Cruz busca ajuda para salvar pista de skate de Chorão em Santos

Menos de 48 horas. Esse é o prazo que o cantor Tico Santa Cruz tem para salvar da demolição a pista de skate criada por Chorão na cidade de Santos. No período, Tico Santa Cruz terá que arrecadar R$ 155 mil para o pagamento de aluguéis atrasados, além de arrumar um patrocinador para bancar os R$ 22 mil mensais para manter a pista.

Na sexta-feira passada, retroescavadeiras entraram na Chorão Skate Park para iniciar o processo de demolição. Indignado, um grupo de manifestantes se reuniu em frente à pista, convocou a imprensa e fez um protesto contra a ação. O prefeito de Santos, Alexandre Barbosa, então suspendeu temporariamente a demolição, dando um prazo de uma semana para que os donos do imóvel chegassem a um acordo com os manifestantes. Coube a Tico Santa Cruz a missão de cumprir o combinado para evitar a demolição.

Nesta terça-feira, a reportagem do UOL Esporte participou de uma entrevista ao vivo pela rádio 89,1 FM, durante o Programa do Tatola, com o líder e vocalista da banda Detonautas. Após a entrevista, o cantor respondeu algumas perguntas com exclusividade para a reportagem do UOL Esporte. Na conversa, Tico Santa Cruz revelou o que está sendo feito para manter de pé a pista de Chorão. Confira:

UOL Esporte – Nesta quarta feira você terá menos de três dias para terminar o prazo dado pelo prefeito de Santos e a dona do imóvel para se levantar o valor para quitação da dívida. O que acontecerá se não houver o pagamento?
Tico Santa Cruz – Nosso acordo foi regido pela palavra, e palavra é o que eu tenho de mais valioso na minha vida. Caso a gente não consiga resolver o problema até sexta-feira, infelizmente a pista será demolida e o espaço negociado com empresas que já estavam querendo alugar o local. Mas tenho fé de que vamos conseguir concluir a missão com sucesso.

UOL Esporte – O que tem sido feito para levantar o valor exigido?
Tico Santa Cruz – Na verdade muitos fãs se ofereceram para fazer doações em dinheiro. Mas isso seria apenas um paliativo. O  dono do terreno não aceita por razões cabíveis, e quer um contrato de mais um ano. A família deles depende da renda desse terreno para viver e há uma dívida de 11 meses de aluguel. Eles foram até muito gentis e se sensibilizaram com a comoção popular pela pista. O que estamos fazendo para levantar a verba é a busca por alguma empresa que adote o local. Procuramos uma empresa que tenha o interesse em desenvolver um projeto social que já era feito pelo Chorão e que será dado continuidade por meio do acordo que fiz com o prefeito (de Santos). A prefeitura se comprometeu a fazer a manutenção da pista e ajudar na administração, tornando a pista um local público da cidade. Fiz contato com muitas pessoas, amigos íntimos do Chorão, empresários, políticos, bandas, gente de TV. Enfim, chamamos atenção para o caso e agora estamos esperando os frutos reais.

UOL Esporte – O que os fãs e skatistas podem fazer nesse momento, ou até mesmo na sexta-feira, para evitar a demolição?
Tico Santa Cruz – Podem apenas mentalizar positivamente e aguardar. Tudo o que poderia ter sido feito, nós fizemos nessa uma semana. Desde que soube da demolição, por meio da página dos Charliebrownianos no Facebook, onde havia um fã desabafando revoltado com o possível acontecimento. Agora é cruzar os dedos e torcer para que nossos contatos rendam frutos. Muita gente achava que era caso perdido. Mas se existe 1% de chance, eu vou sempre acreditar que mesmo apenas com esse 1% vamos conseguir chegar onde pretendemos.

UOL Esporte – Você teve contato com o Tihuana e o MV Bill. Outros artistas estão envolvidos nessa causa?
Tico Santa Cruz – Tive contato com o Bill pelo Twitter. Ele me passou o telefone dele, mas não cheguei a ligar. Pois em um primeiro momento nossa missão é a de não deixar a pista de skate ser demolida. Mas tive contato com artistas como a Cone Crew, Tihuana e outras bandas que se ofereceram para arrecadar fundos por meio de shows e que estava sendo feito paralelamente em outras frentes nessa luta, para que em um segundo momento nós pudéssemos arrecadar grana para bancar os custos da dívida. O (Marcos) Mion, a Sonia Abrão (jornalista prima do Chorão) e o apresentador Luciano Huck também entraram em contato para oferecer ajuda. Porém, como os prazos são muito curtos, fica difícil exigir de qualquer pessoa envolvida uma solução em tão pouco tempo. O que vale é a boa vontade de ajudar e de incentivar a batalha.

UOL Esporte – A prefeitura de Santos ou você tem um plano B em caso de não conseguir levantar os recursos?
Tico Santa Cruz – Não há plano B. Nosso acordo com os donos da pista é um acordo que eu vou honrar. Se não conseguirmos não podemos atrasar a vida deles. Eles dependem do dinheiro do aluguel do terreno para viver e para a prefeitura (de Santos) assumir o lugar precisaria de um trâmite na Câmara dos Vereadores com aprovação por parte de 2/3 de quórum de votos para que algo pudesse ser feito com dinheiro público. Nós não queremos depender de dinheiro público, embora a prefeitura tenha nos atendido desde o começo e deixado claro as possibilidades.

UOL Esporte – O Alexandre (filho do Chorão) está participando de alguma forma, ou a Graziela (a viúva)?
Tico Santa Cruz – Quando comecei essa correria, liguei para todos da família do Chorão. Não queria passar por cima de ninguém, nem me intrometer em algo que pudesse criar algum problema. O Xande estava fora do Brasil até segunda-feira, mas mandou uma mensagem de apoio pelo Facebook. Liguei para a Grazi, e ela esteve o tempo todo dando apoio, assim como o Ricardo e o Fábio, que são irmãos dele. Houve um acordo entre todos os familiares do Chorão para que pudéssemos jogar nossas últimas fichas e todos colaboraram nesse sentido.

UOL Esporte – O que você está aprendendo em todos esses dias de luta por algo que nem é seu?
Tico Santa Cruz – Nós vamos lutar até os últimos segundos para manter aquele espaço de pé e tudo que ele representou enquanto Chorão estava vivo. Como disse Bob Marley: "Você pode enganar dois ou três, mas não engana todos de uma vez."

UOL Esporte – Você anda de skate, surfa, ou pratica alguma modalidade do gênero?
Tico Santa Cruz – Surfo desde os 12 anos e ando de skate eventualmente com os meus filhos. Adoro esportes radicais, mas estou sem tempo atualmente por conta de muitos trabalhos. Me identifico com essas modalidades desde criança.