terça-feira, março 04, 2014

Tico e o Lepo Lepo, parte 2

É rendeu essa história de analisar "Lepo Lepo". Confira o que rolou no Carnaval de Salvador!

Vídeo:

Cantor desfila com o Psirico no circuito Osmar (Campo Grande).
No trio, Márcio Victor lê 'análise' de Tico Santa Cruz sobre o 'Lepo Lepo'

Notícia:

Márcio Victor lê crítica de Tico Santa Cruz
"Lepo Lepo", do Psirico, é uma das grandes apostas do Carnaval 2014


Márcio Victor não conteve a emoção mais uma vez ao passar pelo circuito Osmar, no Campo Grande, em Salvador, neste domingo, dia 2. Dessa vez, o cantor puxou o bloco Pinel e levou a multidão ao delírio com o sucesso "Lepo Lepo", tido como uma das grandes apostas do Carnaval de 2014. Aos ver os foliões em peso cantando o hit, ele não segurou as lágrimas. 

Em cima do trio, o vocalista leu a crítica feita recentemente por Tico Santa Cruz. No texto, o líder do Detonautas diz que "Lepo Lepo é a música mais revolucionária de todos os carnavais". As palavras do músico geraram polêmica nas redes sociais. "Pelo visto 90% das pessoas aqui não sabem que ele foi irônico e sarcástico", afirmou uma fã.  

Um dia antes, Tico havia comentado: "em terra de 'Quadradinho de 8', quem faz 'Lepo Lepo' é rei". Leia abaixo o texto completo de Tico Santa Cruz:
CARAL&ˆ%$#@@!!!!!!!!!! Preciso pedir mil perdões ao Psirico. Não havia ouvido a música mais comentada das redes sociais nestes dias. O principal assunto do Twitter e do FB. Esqueçam o julgamento do Mensalão e outras bobagens. Lepo Lepo é a música mais revolucionária de todos os carnavais. Vocês que estão criticando é que não entenderam NADA. Siga o raciocínio comigo. A letra diz:

"Eu já não sei o que fazer - Duro, pé rapado com o salário atrasado"
(Análise: Realidade social de milhares de brasileiros - fora os desempregados )
"Já não tenho mais para onde correr - Já fui despejado e o banco levou o meu carro"

(Análise: entrou em financiamentos acreditando que conseguiria melhorar a vida e infelizmente não conseguiu pagar suas contas - perdeu o pouco que tinha - Realidade social de milhares de brasileiros)

"Agora vou conversar com ela, será que ela vai me querer? Agora vou ver a verdade - Se é dinheiro ou e amor ou cumplicidade?"

(Análise: diante do panorama atual onde as pessoas não valem o que são, mas apenas o que tem. Saber se uma mulher está com você por dinheiro ou por amor é algo muito importante. Enquanto 99% da música brasileira está em seu momento de ostentação - essa música coloca em questão os valores da sociedade. O que vale mais o amor ou os bens materiais?)

"Não tenho carro, não tenho teto e se ficar comigo é porque gosta"

(Análise: Verdade total. Nos dias de hoje, quem ficaria com um sem teto? Apenas outro sem teto. Negligenciado pelo Governo. Não ter carro então... Vai usar ônibus, trem ou metrô - ou seja, apenas quem ama muito uma pessoa e capaz de encarar todos estes problemas sociais e manter o relacionamento - AMOR VERDADEIRO)

"Rá lepo lepo lepo lepo" é a única coisa que o cidadão tem.
Ou seja... de tanto tomar Lepo Lepo do Governo, só restou Lepo Lepar a parceira para manter o relacionamento.

Confessem, nós fomos preconceituosos.

A música retrata a realidade do povo. Então isso explica também uma necessidade urgente do Controle de Natalidade e planejamento familiar no Brasil, porque a quem não restou nada... só o Lepo Lepo pode trazer alguma alegria e lepo lepo sem prevenção - cria mais crianças e mais crianças sem os cuidados que merecem do Governo, podem se tornar cidadãos com muitas dificuldades sociais e o ciclo não termina nunca.

Essa é minha lepo lepo tese".
Fonte: Band Folia

Crítica:

Vocalista do Psirico diz que “Lepo Lepo” é um grito contra o capitalismo

E eu que achava o Latino cara de pau!

Para quem ainda não se curou da ressaca ou passou o feriadão em uma caverna, o Carnaval de 2014 foi embalado pelo mais novo hit do momento: o tal do Lepo Lepo, uma ”música”, de letra simples, proposta questionável e uma coreografia cretina pra conquistar micareteiros.

Sejamos francos, pelamordedeus! Todo mundo sabe que a Festa da Carne usa e abusa de músicas grudentas, de letra fácil e repetitiva e que, para ser eleita A Música do Carnaval deste ou daquele ano, sempre se usa essa mesma receita de bolo.

Que saudade das minhas marchinhas, pelo menos o alvo da crítica era o governo e não o povo…

…enfim,  a mais tocada durante a festa da carne e em 2014, indiscutivelmente, o tal do Lepo Lepo tocou tanto que tirou o juízo e o senso crítico de todos os cidadãos brasileiros.

Se você dançou ao som do Psirico, perdeu o senso crítico. Se não, junte-se a mim e seja mais um louco.

O problema é que o cara resolveu falar que a música, quer dizer, o som, o tal do Lepo Lepo significa Amor de uma forma muito variada (a forma de entender o Amor varia da criançada até os idosos) e que sua música, quer dizer, seu som, é um grito contra o capitalismo.

Sério?! Será que eu entendi errado tudo o que eu estudei sobre o tema Capitalismo!?

Nada contra quem curte o tal do Lepo Lepo, contudo, se eu tiver que escutar essa tranqueira, eu prefiro escutar a resposta feita pela Amanda Valverde (que é um pitelzinho, por sinal) para a música do Psirico.

Acho que o som do pessoal do Psirico não chega a ser tão profundo quanto propõe o “compositor” da “música” que levantou a poeira da Festa da Carne em 2014, aliás, tenho plena certeza do que digo.

Alguém me faz a fineza de pedir pro cara do Psirico o que é o Capitalismo. Eu quero ver o que ele vai responder.

Ainda, acho que a tal alegativa de que a “música” teria um caráter manifestativo anticapitalista. Creio que a crítica do Tico Santa Cruz deu um empurrãozinho amigo nas ideias do vocalista do Psirico.

Ouvi falar que o cara do Psirico chorou de emoção ao ler a crítica. Assim como os fãs da banda, acreditavam que o trabalho da banda foi reconhecido por colegas de profissão. Isso me faz lembrar que estes brasileiros são os mesmos que invadem shoppings em manifestação contra a proibição do maldito rolerin, entendido como movimento anti segregação racial.

Fala sério!

A “música mais revolucionária de todos os carnavais” promete continuar balançando o esqueleto de todo o brasileiro que não entendeu a crítica.

Se alguém for pra algum show do Psirico, quando cantarem o tal do Lepo Lepo, arremesse um exemplar de O Capital na cabeça do vocalista. Você estará fazendo um favor pra ele.

Quem chorou, creio, foi o Tico Santa Cruz que descobriu, da pior forma, que o brasileiro não lê a porra da postagem antes de comentar ou curtir. Pensando bem, pra quê ser crítico?! O ano do brasileiro só começa depois do carnaval….

Lepo Lepo na criticidade! Tá foda ser brasileiro…