quinta-feira, novembro 04, 2010

A Fazenda 3: Tico defende Carrasco, Luisa, Abreu e Geyse

Tico Santa Cruz foi o terceiro eliminado do reality show de A Fazenda 3, da Record, mas, mesmo com pouco tempo de confinamento, foi um integrante que deu o que falar.

O vocalista do Detonautas protagonizou a briga mais séria, até o momento, na qual chegou a chamar Dudu Pelizzari de Judas - apelido que alguns integrantes da casa aderiram. Longe do confinamento e de volta à vida normal, Tico resolveu deixar as suas impressões sobre a fazenda em seu bloglog e, logo em seu primeiro parágrafo, disse que considerou justa a sua eliminação e que o seu texto não seria para lamentar suas ações no reality:

“De cara, deixo bem claro que não escrevo este texto com a intenção de me justificar sobre qualquer um dos ocorridos, nem lá dentro e nem após minha eliminação. Eliminação JUSTA, com 74% dos votos dos telespectadores que entenderam que não havia motivo que justificasse a retirada de meus outros dois parceiros de GRUPO (Ovelha) que foram colocados ao meu lado na ‘ROÇA’”, escreveu ele, que se considerou ainda “o responsável pelo conflito que abasteceu duas semanas de assuntos dentro da casa”.

O cantor também disse que não questionava as edições que iam ao ar pela rede Record e ainda disse que conquistou amigos de verdade em seu convívio e espera levar alguns deles pela vida inteira.

“Monique, Carrasco, Luisa, Sérgio Abreu e Geyse Arruda, são criaturas que espero ter por perto, cada um em sua possibilidade, sempre que puder”, escreveu.

Tico confessou que não aceitou o convite para participar de A Fazenda logo na primeira vez e revelou nunca ter assistido programas de reality show, a não ser quando Marcelo Dourado, seu amigo, entrou para o BBB e ele dava umas assistidas de vez em quando.

O cantor revelou que a primeira semana de confinamento foi só festa e que a grande virtude do programa foi ter dividido os participantes em grupos rivais.

Ao falar dos desentendimentos, Tico disse que o grupo liderado por Monique já se mostrava “frágil e confuso”, mas creditou aos conflitos o fato de não saberem o que, de fato, acontece dentro da casa. “É importante saber que nós não temos conhecimento do que ocorre naquele imenso lugar. Por esse motivo é que as intrigas e fofocas se disseminam com a velocidade do fogo num rastilho de pólvora. O ócio completo e o isolamento do mundo fazem com que os participantes tenham seus horizontes diminuídos cada vez a uma realidade muito pequena e particular”, postou.

Quando Tico percebeu os conflitos entre as equipes, logo entendeu que o quesito “harmonia e alegria” não duraria muito tempo. E a principal revolta do cantor foi quando Sérgio Mallandro “tentou comprar votos” e comparou o humorista aos políticos: “Sérgio Mallandro passou a representar para mim, naquela PRIMEIRA SEMANA, a figura de um DESSES coronéis Nordestinos. Uma espécie de JOSE SARNEY. Pode parecer viagem minha. Mas é exatamente assim que acontece na política brasileira. Através da ameaça e da compra de votos que se perpetuam algumas figuras autoritárias nesse país. Ali estava muito claro que as coisas tomavam formas reais dentro de um universo travestido de JOGO. Não creio seguramente que para o Sérgio Mallandro a visão fosse essa, mas a mim e ao meu grupo foi como interpretamos tal questão e dali para frente passamos a tratar tudo sob a ótica política, cada um com seus conceitos e referências”, finalizou o músico.

Confira o Bloglog de Tico Santa Cruz: http://bloglog.globo.com/ticosantacruz/

Fonte: O Fuxico