segunda-feira, julho 07, 2014

Notícia "A Saga Continua" - A (longa) saga do Detonautas continua

A (longa) saga do Detonautas continua
Há seis anos sem um disco de inéditas, Detonautas Roque Clube lança álbum duplo, com 18 faixas

Em 2002, a banda Detonautas Roque Clube surgiu para o mercado musical nacional com o avassalador hit "Outro Lugar", que perdurou durante meses no topo das canções mais pedidas nas rádios brasileiras. O sucesso elevou a banda formada por seis cariocas a patamar no pop rock nacional ocupado por um seleto grupo de nomes como Raimundos, Pitty e Charlie Brown Jr. Lançando ainda outros sucessos, a banda garantiu espaço nas rádios, mas depois da morte do guitarrista Rodrigo Netto - morto, quando o músico tentava ajudar uma pessoa que estava sendo assaltada -, o grupo tomou um novo rumo. Desapareceu dos holofotes e se afastou do mercado mainstream. Ainda com uma base de fãs gigantesca em todo País, a banda resolveu interromper o jejum de seis anos sem lançar um disco de inéditas com o quinto álbum "A Saga Continua".

Mesmo sem motivo aparente, o novo disco - com ar de trabalho comemorativo - da banda conta com 18 músicas, dividas em dois CDs. É um número que distoa do de lançamentos recentes, que investem na economia de faixas para baixar os custo da prensagem e se sintonizar com um público cada vez mais próximo do fragmentado, típico da era mp3. "O disco ter saído duplo se deve, basicamente, à grande quantidade de músicas que produzimos nesses seis anos", explicou o guitarrista Renato Rocha, em entrevista concedida por telefone. "É meio na contramão do mercado, que tem apostado mais em singles e EPs", reconhece o guitarrista. "Vimos que o custo para a produção do álbum não seria muito maior e resolvemos topar".

Gravado no Estúdio Mobília, tocado pelo baterista da banda Fábio Brasil, o álbum foi produzido pela própria banda, "sem pressa", segundo o guitarrista. "Começamos as gravações em 2011 e terminamos agora, no início de março", diz Renato. Distribuído pela gravadora Coqueiro Verde, "A Saga Continua" é dividido em dois momentos diferentes. No primeiro disco, com um material mais pop rock, prevalecem as canções de levada mais leve e romântica, daquele tipo que fez do Detonautas um dos nomes mais conhecidos nacionalmente. "Transitamos bem nesse estilo pop", avalia Renato Rocha, sem problemas com o rótulo.

O trabalho abre em grande estilo, com a levíssima "Vamos Viver". Os versos falam de encontros pessoais e perspectivas de como viver o futuro. Utilizando elementos modernos de bandas radiofônicas - como riffs de guitarras em eco e coros de "ôôôô" -, o Detonautas fez uma aposta segura para prender o ouvinte logo de cara. O clima de celebração continua nas faixas "Essa Noite" e "Hello Hello", mesmo que a "bad" provocada pela última faixa atrapalhe no desenvolvimento do disco.

Crítica

Capitaneada pelo polêmico vocalista Tico Santa Cruz - responsável pela composição de quase todas as letras que compõe o álbum -, a banda segue também apostando em canções com críticas sociais em tons por vezes irônicos e em outros crus como um gancho de direita. Um dos exemplos é a faixa "Quem é Você?". Apesar de apenas tocar a superfície, a música (de letra extensa) foca em questões atuais, como as manifestações urbanas de junho do ano passado. À época, o vocalista defendeu abertamente as ações dos "black blocs" durante show em homenagem a Raul Seixas, no Rock in Rio de 2013. Também são questionados a alta carga tributária paga no Brasil; a legalização da maconha; o serviço previdenciário; e o vazio intelectual de músicas que comandam o ouvinte a fazer algum movimento ou dancinha. "Mãozinha pro lado/bundinha pro outro", canta Tico em um dos versos finais.

Mesmo que a sonoridade da faixa "Quem é Você?" não represente nada de novo no som da banda, a letra é, de longe, uma das mais interessantes do álbum. "A gente acha que um dia como se por um milagre/Deus no auge da bondade fosse interceder/e enquanto esse dia não chega a gente vai aceitando/ e esperando alguma coisa acontecer", canta Tico.

Deixando de lado crítico e introspectivo, o tom romântico começa a tomar forma no álbum a partir da música "Um cara de sorte", encontrando eco nas faixas "Sempre Brilhará" (nos moldes de balada country americana e sendo a única não inédita do álbum) e "Quem Vai Decidir".

A personalidade forte de Tico Santa Cruz é expressa na letra na faixa que encerra o primeiro disco. "E o que eu quero é problema meu/ E o que eu faço é problema meu/ E o que eu espero é problema meu/ E o que eu gosto é problema meu", reitera o músico.

Peso

No segundo disco, o tom das músicas muda totalmente. O grupo executa canções pesadas, com letras diretas e de temas densos. Como no primeiro disco, a primeira de abertura, intitulada de "Seja Forte Pra Lutar", é um bom cartão de visitas. Pena que a qualidade das composições e o ritmo contagiante não permaneça nas faixas seguintes, fazendo da segunda parte de "A Saga Continua" uma colcha de retalhos em que apenas algumas canções se salvam.

É o caso da música "Combate", que facilmente poderia funcionar como música de protesto para inspirar manifestantes. "Ninguém vai recuar/estamos prontos pro combate o medo é fé no contrário/você tem fé em quê?". Outra faixa de qualidade é "O Alienista", abordando temas como medo e loucura, também utilizado em conto homônimo do escritor Machado de Assis. Meio deslocada na proposta do segundo disco, a faixa "Acredite no seu coração" também oferece bons momentos, mesmo seguida da vulgar "Sexo Tântrico".

Mesmo não se destacando por sua extensão vocal, Tico Santa Cruz executa uma boa performance na primeira parte do "A Saga Continua", que se perde no segundo disco, em que muitas vezes, apesar da boa base instrumental, a voz do frontman apequena o trabalho dos integrantes da banda.

O combo de faixas medíocres começa com "Conversando com o Espelho", com a voz de Tico Santo Cruz soando como um bêbado vangloriando-se de um conhecimento intelectual superior ao de outra pessoa em uma suposta discussão. As faixas "Tudo Vai Melhorar", com a típica letra de autoajuda escrita por Tico Santa Cruz , e "Sua Alma Vai Vagar por Aí", apesar de também terem bons momentos, não são o suficiente para salvar o segundo disco.

Disco

A Saga Continua
Detonautas Roque Clube
Coqueiro Verde
2014, 18 faixas
R$ 24,90

Leonardo Bezerra
Repórter